terça-feira, 31 de maio de 2011

Desde que te quiero - Patxi Andion



Aun antes del agua y de conocerte incluso,
Yo tenía,... pero ya no
Ni siquiera:
Mi porvenir incierto;
Mi equipaje
Mi caminar, mis pasos mi pasaje,
Mi enterramiento entero, mi calvario, mi dialecto portuario,
Mi apalabrada historia, mi garganta, mis poemitas, mi esperanza

La dolorosa farsa de mis fosas, mí encarcelado cielo de la boca,
Mi tren de olor; Mis pasiones mis posturas, mis locuras e ilusiones;
Mi adivinanza entera, mis rincones, la verdad de mis otros amores;
Mis amigos, mi vino, mis envidias, mis asquerosas poses y mentiras.
Todas las amapolas, los planetas, el espacio y sus maquetas.
Todas mis noches bellas, las estrellas y la luz que puse en ellas.
Todo mi cuerpo entero y mis poetas; mi piel mi abrazo amargo, mis muñecas.

Todo esto que antes sólo era mió te lo has llevado y lo he perdido, lo he perdido
Desde que te veo,
Desde que te espero,
Desde que te deseo,
Desde que...te quiero

segunda-feira, 30 de maio de 2011

O silêncio


- O silêncio faz tanto barulho que tira o sono -

A amizade

A amizade é a coisa mais importante da vida

Estar do lado de dentro


Para estar junto, não é preciso estar perto e sim do lado de dentro. (Leonardo da Vinci)

Preciso me Encontrar

Deixe me ir preciso andar
Vou por ai a procurar
Rir para não chorar
Deixe me ir preciso andar
Vou por ai a procurar
Rir para não chorar

Quero assistir ao sol nascer
Ver as aguas dos rios correr
Ouvir os passaros cantar
Eu quero nascer, quero viver

Deixe me ir preciso andar
Vou por ai a procurar
Rir para não chorar

Se alguem por mim pregunta
Diga que eu so vou voltar
Quando eu me encontrar

Quero assistir ao sol nascer
Ver as aguas dos rios correr
Ouvir os passaros cantar
Eu quero nascer, quero viver

Deixe me ir preciso andar
Vou por ai a procurar
Rir para não chorar

Se alguem por mim pregunta
Diga que eu so vou voltar
Quando eu me encontrar [x3]

Depois que eu me encontrar .

domingo, 29 de maio de 2011

Minha Alma tem o Peso da Luz



Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes, quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou, tem o imaterial peso da solidão no meio da multidão!
(Clarice Lispector)

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Retrato de Mulher


Vestiu-se para um baile que não há.
Sentou-se com suas últimas jóias.

E olha para o lado, imóvel.


Está vendo os salões que se acabaram,

embala-se em valsas que não dançou,

levemente sorri para um homem.

O homem que não existiu.


Se alguém lhe disser que sonha,

levantará com desdém o arco das sobrancelhas,

Pois jamais se viveu com tanta plenitude.


Mas para falar de sua vida

tem de abaixar as quase infantis pestanas,

e esperar que se apaguem duas infinitas lágrimas.


Cecília Meireles, in 'Poemas (1942-1959)'



terça-feira, 24 de maio de 2011

«Carpe Diem II » Não desistir de perseguir os sonhos


Todos nós temos algo que gostaríamos de dar a alguém - uma expressão de alegria, um carinho...

Um dos personagens do Filme o Clube dos Poetas Mortos, Knox Overstreet está apaixonado por uma garota..  O único problema é que ela é namorada de um famoso atleta. Knox não tem autoconfiança para se aproximar dela, mas lembra-se do conselho de Mr Keating: - «Aproveita as oportunidades!» Knox percebe que tem que fazer alguma coisa. Corajoso declara o seu amor, mas ela manda-o embora e ainda  leva um soco do namorado. Apesar de Knox não ser especialmente bonito ou popular ele conseguiu conquistar a garota pela força da sua intenção sincera. Knox ficou orgulhoso de si próprio porque ao mesmo tempo conseguiu aprofundar o  relacionamento consigo mesmo não desistindo do seu sonho. Basta continuar a demonstrar o seu amor. Acreditamos que nos magoamos quando não recebemos amor. Mas não é isso que nos magoa. O nosso sofrimento vem quando não damos amor. Nascemos para amar, podemos dizer que somos máquinas de amor criadas por Deus. Funcionamos com mais potência quando damos amor. O mundo levou-nos a acreditar que o nosso bem estar depende do amor de outra pessoas. A verdade é que o nosso bem estar depende da nossa capacidade de dar amor.  Não tem nada a ver com o que volta; tem a a ver com o que vai!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

«Carpe Diem» - E preciso coragem e viver o momento!


Um dos melhores exemplos para esta expressão é John Keating , o professor  revolucionário, interpretado por Robin Williams em o Clube dos Poetas Mortos. Keating toma um grupo de estudantes espiritualmente impotentes, arregimentados e reprimidos num internato rígido e inspira-os a tornarem as suas vidas extraordinárias. Estes jovens perderam de vista os seus sonhos e ambições. Viviam os planos e expectativas dos pais em relação a eles. Planeavam tornarem-se médicos, banqueiros, advogados porque os seus pais assim o queriam. Dificilmente estes rapazes ouviam o que o seu coração reclamava.
Keating leva os jovens até ao hall de entrada da escola onde um quadro mostra alunos antigos.
- Olhem para esta fotografias, meninos, diz Keating aos estudantes. - Os jovens que vocês estão a ver possuíam a mesma chama que vocês possuem nos olhos. Planeavam revolucionar o mundo e transformar a sua vida em algo magnífico! Isso foi à 70 anos, agora estão todos mortos. Quantos deles viveram os seus sonhos? Quantos fizeram o que estavam determinados a realizar? Então, Keating inclinou-se para o grupo e disse - Carpe Diem!! Aproveitem as oportunidades!
De início os jovens não sabiam o que fazer com este estranho professor mas depois ponderaram a importância das suas palavras e passaram a respeitar o professor Keating que lhe deu uma nova visão - ou devolveu-lhes  as suas visões originais.
(Alan Cohen)

The Corrs - What Can I Do

Ver(dade)










Sempre que ela se virava ele desviava o olhar. Ele não queria olhar nos olhos dela. Olhava para ela quando passava,  olhava as suas roupas, os sapatos, as cores das sombras que eram diferentes todos os dias - a sua cor preferida era a  castanha. Acompanhava o movimento do seu corpo quando passava, olhava os seus cabelos, mas os olhos não! Definitivamente não. Ele tinha medo de encarar a (ver)dade. Preferia fingir. Fingir indiferença era mais fácil. Encarar a (ver)dade requeria coragem e nenhuma cobardia... Ver e Verdade são duas palavras que caminham juntas!






domingo, 22 de maio de 2011

Entender as estrelas

"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso!" E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto ...

...E conversamos toda a noite, enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Ainda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?"

E eu vos direi: "Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas."
(Olavo Bilac)
Soneto XIII da obra Via-Láctea
 
 
 
 
 
 
 

Abraço


Hoje, no dia mundial do Abraço

.../
Abracemo-nos nós (vê as horas - deram-nos escasso o tempo
e um abraço a sério pode durar uma eternidade)

Abrir muito os braços deixá-los crescer e crescer
tê-los aptos disponíveis para abarcar
uma floresta impossível de sequóias
ou desenhar a órbita de um cometa errante
fechar os olhos invertê-los voltá-los para dentro
levá-los aos recessos mais íntimos da alma
.....
depois finalmente cerrar os braços
uns sobre os outros com o vagar das corolas fechando-se,
aconchegar os peitos apertá-los tanto até esmagar....
esperar ainda que se escoem todos os sons interiores
e deixar-se morrer como um eco extraviado

quando enfim ressuscitarmos desta ansiada morte
demorar mais uma eternidade
para recuperar os próprios braços
( Porque são tão raros os abraços verdadeiros)

Anthero Monteiro (inédito)
Adaptado

Pintura: Gustav Klimt

sexta-feira, 20 de maio de 2011

TAMBOR - Tributo a Neves e Sousa ( Livro Mahamba, poesia 1943-1949)




"Canta tambor, rufa tambor
sensual, quente, grita e clama
que uma só hora de amor
queima a vida numa chama

Não há voz mais pura
para embalar cantos de amor
que a voz quente do tambor
batucando a noite escura....

Canta tambor, rufa tambor
sensual, quente grita e clama
que uma só hora de amor
queima a vida numa chama"

imagem: Batuque

Noite saudade


A noite vem poisando
devagar Sobre a Terra,
que inunda de amargura...
E nem sequer a bênção do luar
A quis tornar divinamente pura...

Ninguém vem atrás dela a acompanhar
A sua dor que é cheia de tortura...
E eu oiço a Noite imensa soluçar!
E eu oiço soluçar a Noite escura!

Por que és assim tão escura,assim tão triste?!
É que, talvez, a Noite, em ti existe
Uma saudade igual à que eu contenho!

Saudade que eu sei donde me vem...
Talvez de ti, ó Noite!...Ou de ninguém!...
Que eu nunca sei quem sou, nem o que tenho!!

( Florbela Espanca)

Quissange, Saudade Branca - Tributo a Neves e Sousa - Angola, 1976

Aquela melopeia triste de kissange
na noite negra angolana e doce
parou numa nota repentina.

Não sei se parou a mão que tange
Sei que parou e fosse como fosse
Parou numa nota repentina.

Ficou-me a angústia de um sonho inacabado
há muito, muito tempo na memória.
hoje a história traz-me o mesmo sentimento,
melodia interrompida de repente...

Mas foi um toque desafinado de clarim
que veio anunciar o fim.

O pendão cansado de tantas batalhas
murchou como um trapo desbotado
e com ele se fizeram as mortalhas
dos sonhos frustes que tinhamos sonhado



 Quissange: instrumento musical Tchokwe - Lunda - Angola

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Oh Dia!




Olho para ti todos os dias, desde que me levanto até que me deito, mas tu teimas em olhar para mim como se eu fosse invisível....

Procura

 
Que voz se desprende,
hesita, tropeça?
Que pedras tacteia,
que ramos alcança?
Que fonte pressente?
Que rio procura?
Que ritmo persegue,
que palavras ama?
Que sombras repele,
que luzes derrama?
(Eugénio Andrade)

 

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Música Mirabilis



Talvez a ternura
crepite no pulso,
talvez o vento
súbito se levante,
talvez a palavra
atinja o seu cume,
talvez um segredo
chegue ainda a tempo
– e desperte o lume.

(Eugénio de Andrade
in mar de Setembro)



Rolling In The Deep


There's a fire starting in my heart,
Reaching a fever pitch and it's bringing me out the dark,

Finally, I can see you crystal clear,

Go ahead and sell me out and a I'll lay your shit bare,
See how I'll leave with every piece of you,
Don't underestimate the things that I will do,

There's a fire starting in my heart,

Reaching a fever pitch and it's bring me out the dark,

The scars of your love remind me of us,

They keep me thinking that we almost had it all,
The scars of your love, they leave me breathless,
I can't help feeling,

We could have had it all,

(You're gonna wish you never had met me),
Rolling in the deep,
(Tears are gonna fall, rolling in the deep),
You had my heart inside of your hand,
(You're gonna wish you never had met me),
And you played it to the beat,
(Tears are gonna fall, rolling in the deep), 
Baby, I have no story to be told,
But I've heard one on you and I'm gonna make your head burn,
Think of me in the depths of your despair,
Make a home down there as mine sure won't be shared,

The scars of your love remind me of us,
(You're gonna wish you never had met me),
They keep me thinking that we almost had it all,
(Tears are gonna fall, rolling in the deep),
The scars of your love, they leave me breathless,
(You're gonna wish you never had met me),
I can't help feeling,
(Tears are gonna fall, rolling in the deep),

We could have had it all,
(You're gonna wish you never had met me),
Rolling in the deep,
(Tears are gonna fall, rolling in the deep),
You had my heart inside of your hands,
(You're gonna wish you never had met me),

And you played it to the beat,
(Tears are gonna fall, rolling in the deep),

Could have had it all,
Rolling in the deep,
You had my heart inside of your hands,
But you played it with a beating,

Throw your soul through every open door,
Count your blessings to find what you look for,
Turn my sorrow into treasured gold,
You'll pay me back in kind and reap just what you've sown,

(You're gonna wish you never had met me),
We could have had it all,
(Tears are gonna fall, rolling in the deep),
We could have had it all,
(You're gonna wish you never had met me),
It all, it all, it all,
(Tears are gonna fall, rolling in the deep),

We could have had it all,
(You're gonna wish you never had met me),
Rolling in the deep,
(Tears are gonna fall, rolling in the deep),
You had my heart inside of your hands,
(You're gonna wish you never had met me),
And you played it to the beat,
(Tears are gonna fall, rolling in the deep),

Could have had it all,
(You're gonna wish you never had met me),
Rolling in the deep,
(Tears are gonna fall, rolling in the deep),
You had my heart inside of your hands,
(You're gonna wish you never had met me),

But you played it,
You played it,
You played it,
You played it to the beat.


terça-feira, 17 de maio de 2011

Para Sempre, Mãe!

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.
Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
— mistério profundo —
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.
(Carlos Drummond de Andrade)

A idade de ser Feliz



Existe somente uma idade para a gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possível sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-las
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar
e recriar a vida,
a nossa própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores
sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que a gente enfrenta com toda disposição
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO,
e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente
chama-se PRESENTE
e tem a duração do instante que passa.

(Mário Quintana) 

 

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Eu quero



Walking on the sun.....

Ver com o coração

"Se o que vemos com os olhos não nos agrada, fechemos então os olhos e tentemos ver com o coração. O coração alcança aquilo que os olhos não conseguem"!  Faz sentido, mas  não é um exercício fácil ....

sábado, 14 de maio de 2011

Tocando em Frente

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte mais feliz, quem sabe
Eu só levo a certeza de que muito pouco eu sei
E nada sei
Conhecer as manhas e as manhãs
O sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso chuva para florir
Penso que cumprir a vida seja simplesmente
Compreender a marcha e ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada, eu sou
Estrada eu vou
Conhecer as manhas e as manhãs
O sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso chuva para florir
Todo mundo ama um dia, todo mundo chora
Um dia a gente chega no outro vai embora
Cada um de nós compõe a sua história
E cada ser em si carrega o dom de ser capaz
E ser feliz
Conhecer as manhas e as manhãs
O sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso chuva para florir
Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua história e
Cada ser em si carrega um dom de ser capaz
E ser feliz

O Pão e o Amor

"Duas Peças de Pão, Expressam um Sentimentos de Amor"-Salvador Dali -1940
Toda a gente gosta de pão e toda a gente gosta de amor!

Ingratidão

A vileza e a ingratidão estão sempre dispostas a vitimarem as pessoas mais bondosas, por isso é que ser bondoso neste mundo não é para os fracos, é para os fortes!
- Augusto Branco -

AS 3 OPÇÕES

Não há outra solução, mas poderá ajudar se entendermos as razões porque acontecem?

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Lago Mudo

Contemplo o lago mudo
Que uma brisa estremece.
Não sei se penso em tudo
Ou se tudo me esquece.
O lago nada me diz,
...Não sinto a brisa mexê-lo
Não sei se sou feliz
Nem se desejo sê-lo.

Tremulos vincos risonhos
Na água adormecida.
Por que fiz eu dos sonhos
A minha única vida?

Fernando Pessoa, 4-8-1930

terça-feira, 10 de maio de 2011

Insensatez

A insensatez que você fez
Coração mais sem cuidado
Fez chorar de dor
O seu amor
Um amor tão delicado
Ah, porque você foi fraco assim
Assim tão desalmado
Ah, meu coração que nunca amou
Não merece ser amado
Vai meu coração ouve a razão
Usa só sinceridade
Quem semeia vento, diz a razão
Colhe sempre tempestade
Vai, meu coração pede perdão
Perdão apaixonado
Vai porque quem não
Pede perdão
Não é nunca perdoado

Sorry Seems the Hardest Word to Say

domingo, 8 de maio de 2011

EXPLICAÇÃO PRECISA-SE

"Para Spinoza (e por definição para todos os filósofos racionalistas) 'explicar' quer dizer mostrar que uma atitude é a consequência lógica necessária de alguma outra; "explicação" essencialmente envolve exigir coerências necessárias; e coerência necessária nesse contexto quer dizer uma coerência  lógica na análise do assunto em questão! Nada mais fácil! Ora vamos lá explicar!




O CAOS QUE REINA NO MEU REINO

CAOS - Como assim? Vamos à definição clássica: para a física e a matemática é a teoria que explica o funcionamento de sistemas complexos e dinâmicos. Caos é também abrir-se, entreabrir-se, fechar-se, abismo insondável... pode ser deus grego e é com toda a certeza bagunça, confusão... ...





Fragile - cuidado a transportar em tempo de mudança

Mudar, tirar, trocar, dar, pensar, escolher, ponderar, decidir, desfazer... está na ordem do dia.



As cores fazem toda a diferença

gosto de ver, pensar e sonhar a cores mesmo nos momentos em que as cores andam ausentes de mim.



Cuerpo Sin Alma

sábado, 7 de maio de 2011

Todo o Tempo do Mundo


Podes vir a qualquer hora
Cá estarei para te ouvir
O que tenho para fazer
Posso fazer a seguir

Podes vir quando quiseres

Já fui onde tinha de ir
Resolvi os compromissos
agora só te quero ouvir

Podes-me interromper

e contar a tua história
Do dia que aconteceu
A tua pequena glória
O teu pequeno troféu

Todo o tempo do mundo

para ti tenho todo o tempo do mundo
Todo o tempo do mundo

Houve um tempo em que julguei

Que o valor do que fazia
Era tal que se eu parasse
o mundo à volta ruía

E tu vinhas e falavas

falavas e eu não ouvia
E depois já nem falavas
E eu já mal te conhecia

Agora em tudo o que faço

O tempo é tão relativo
Podes vir por um abraço
Podes vir sem ter motivo
Tens em mim o teu espaço

Todo o tempo do mundo

para ti tenho todo o tempo do mundo
Todo o tempo do mundo

ILUSÕES


AS DOCES ILUSÕES PODEM DEIXAR GOSTOS AMARGOS!






PEDIR DESCULPA

Não significa unicamente que estamos errados e os outros estão certos, significa também que valorizamos as relações mais do que o nosso ego!



sexta-feira, 6 de maio de 2011

Se eu quiser falar com Deus


Se eu quiser falar com Deus
Tenho que ficar a sós
Tenho que apagar a luz
Tenho que calar a voz
Tenho que encontrar a paz
Tenho que folgar os nois
Dos sapatos, da gravata
Dos desejos, dos receios
Tenho que esquecer a data
Tenho que perder a conta
Tenho que ter mãos vazias
Ter a alma e o corpo nus...
Se eu quiser falar com Deus
Tenho que aceitar a dor
Tenho que comer o pão
Que o diabo amassou
Tenho que virar um cão
Tenho que lamber o chão
Dos palácios, dos castelos
Suntuosos do meu sonho
Tenho que me ver tristonho
Tenho que me achar medonho
E apesar de um mal tamanho
Alegrar meu coração...
E se eu quiser falar com Deus
Tenho que me aventurar
Eu tenho que subir aos céus
Sem cordas prá segurar
Tenho que dizer adeus
Dar as costas, caminhar
Decidido, pela estrada
Que ao findar vai dar em nada
Nada, nada, nada, nada
Nada, nada, nada, nada
Nada, nada, nada, nada
Do que eu pensava encontrar!
Se eu quiser falar com Deus!

QUANDO ME AMEI DE VERDADE



Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é...Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é... Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a... Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é... Saber viver!!! 
(Charlie Chaplin)

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Gonzaguinha - Nunca Pare de Sonhar

Sonhos frustrados
são flores ressequidas, cadentes,
que deixam grávidas
sementes de desejos ávidos latentes

Uma pequena folha

Tu eras também uma pequena folha
que tremia no meu peito.
O vento da vida pôs-te ali.
A princípio não te vi: não soube
que ias comigo
até que as tuas raízes
atravessaram o meu peito,
se uniram aos fios do meu sangue,
falaram pela minha boca
floresceram comigo
- Pablo Neruda


segunda-feira, 2 de maio de 2011

A transbordar...




De emoções acumuladas, de sonhos perdidos
de choros contidos, 
de risos calados 
de sentimentos exacerbados
É preciso deixar fluir ....

Quem és tu que vens pela noite dentro

Quem és tu que assim vens pela noite adiante,
Pisando o luar branco dos caminhos,
Sob o rumor das folhas inspiradas?

A perfeição nasce do eco dos teus passos,
...E a tua presença acorda a plenitude
A que as coisas tinham sido destinadas.

A história da noite é o gesto dos teus braços,
O ardor do vento a tua juventude,
E o teu andar é a beleza das estradas.

(Sophia de Mello Breyner Andresen)

Cada um oferece aquilo que tem e transborda dentro de si ♥

"Todos devemos ser perdoados, porque não entendemos tudo."

The Story - Todos nós temos a nossa estória!

Insatisfação em quadriplicado

 A vida às vezes é difícil, o que queremos não temos, o que temos não nos satisfaz,  o que esperamos  nunca acontece e o que odiamos em geral repete-se!






domingo, 1 de maio de 2011

Silêncio e Tanta Gente

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro o amor em teu olhar
É uma pedra
É um grito
Que nasce em qualquer lugar
Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que eu sou
Às vezes sou o tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar
Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não
E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão
Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro as palavras por dizer
É uma pedra
Ou é um grito
De um amor por acontecer
Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que sou

(Maria Guinot)

Guarda Chuva, Guarda Sol

Guarda chuva, guarda sol. Guardo imagens e os meus lápis de cor numa caixa colorida, as boas lembranças, guardo-as  no meu peito. Guardo livros. Alguém me guarda um pedaço de bolo? E um cantinho no coração? Também guardo as lágrimas, as palavras, os sorrisos e as tentativas de poesia. Guardo as vozes e os olhares, às vezes esqueço-me de como eram.... cerro os olhos a imaginar, mas a imagem e o som não vêm. Estão perdidos. Guardo a chuva e guardo o sol!