sexta-feira, 20 de maio de 2011

Quissange, Saudade Branca - Tributo a Neves e Sousa - Angola, 1976

Aquela melopeia triste de kissange
na noite negra angolana e doce
parou numa nota repentina.

Não sei se parou a mão que tange
Sei que parou e fosse como fosse
Parou numa nota repentina.

Ficou-me a angústia de um sonho inacabado
há muito, muito tempo na memória.
hoje a história traz-me o mesmo sentimento,
melodia interrompida de repente...

Mas foi um toque desafinado de clarim
que veio anunciar o fim.

O pendão cansado de tantas batalhas
murchou como um trapo desbotado
e com ele se fizeram as mortalhas
dos sonhos frustes que tinhamos sonhado



 Quissange: instrumento musical Tchokwe - Lunda - Angola

Sem comentários: