segunda-feira, 23 de maio de 2011

Ver(dade)










Sempre que ela se virava ele desviava o olhar. Ele não queria olhar nos olhos dela. Olhava para ela quando passava,  olhava as suas roupas, os sapatos, as cores das sombras que eram diferentes todos os dias - a sua cor preferida era a  castanha. Acompanhava o movimento do seu corpo quando passava, olhava os seus cabelos, mas os olhos não! Definitivamente não. Ele tinha medo de encarar a (ver)dade. Preferia fingir. Fingir indiferença era mais fácil. Encarar a (ver)dade requeria coragem e nenhuma cobardia... Ver e Verdade são duas palavras que caminham juntas!






Sem comentários: