quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Eristoffa

Há dias que não deviam existir, devia poder-se passar por cima e pronto!

Hoje perdi a companhia de uma amiguinha de muitos anos! Foram 14 anos de fiel companhia, de guarda, de entrega total e protecção incondicional! Chamava-se Eristoffa, Toffa como lhe chamávamos! Era grande, possante,  parecia uma leoa, tinha um olhar profundo e tranquilo, de uma inteligência fora de série, uma guarda nata,  não fora ela descendente dos cães pastores da serra da estrela. Estava doente, muito doente. A partir de agora o sofrimento iria ser maior e a sua qualidade de vida iria se degradar muito. Embora com o coração muito apertado, a decisão tinha que ser tomada e tomei-a. Depois de assinar todos os papéis legais para a eutanásia fui despedir-me dela. Estava dentro da jaula, na clínica onde estava a ser cuidada. Quando me viu, apesar de sedada, percebi que me olhou com um olhar inquisidor, como se me perguntasse: - então demoraste, estou aqui fechada, vamos!  Conversei com ela e por entre as grades fiz-lhe festas no focinho, mas ela virou-o, mostrando descontentamento, percebeu que eu não a ia buscar..

Obrigado amiguinha por toda a dedicação, vou ter saudades de te ouvir  bater à porta (levantando o ferrolho com o focinho) insistentemente a meio da noite, porque ventava muito e como tinhas medo do vento querias te abrigar dentro de casa, vou sentir falta da tua companhia, dos teus latidos, das tuas boas vindas sempre que eu chegava da rua, enfim, vou ter saudades de ti e vou guardar com carinho a tua lembrança num cantinho muito especial no meu coração.. Até sempre Toffinha.


2 comentários:

Madalena disse...

Lembro-me desta Eristoffa! Era tal e qual como a descreves. Lembro-me que tive medo, quando entrei em tua casa.
Mas agora chegou a hora de descansar, Ana! A memória que tens dela é linda! Quem dera muitas pessoas terem alguém que se dedique a ponto de estarem presentes para decidir pelo não-sofrimento. A tua Ersitoffa partiu no momento certo, Ana!
Um beijinho!

anna disse...

Obrigado querida Madalena pelas tuas palavras, sempre tão doces!!
Beijinhos