domingo, 6 de novembro de 2011

A Palavra

 
 A Palavra
Eleva-se entre a espuma, verde e cristalina
e a alegria aviva-se em redonda ressonância.
O seu olhar é um sonho porque é um sopro indivisível
que reconhece e inventa a pluralidade delicada.
Ao longe e ao perto o horizonte treme entre os seus cílios.
/....
( António Ramos Rosa - excerto do Poema a Palavr
a)

Sem comentários: